AP Photo/Michael Wyke
AP Photo/Michael Wyke

Senador Bernie Sanders passa por cirurgia no coração

​Pré-candidato democrata à Casa Branca foi operado e os médicos inseriram dois stents em seus vasos sanguíneos

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2019 | 12h00
Atualizado 03 de outubro de 2019 | 15h31

WASHINGTON - O senador e pré-candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata Bernie Sanders foi submetido nesta quarta-feira, 2, a um procedimento cirúrgico em razão de uma artéria entupida no coração e cancelou suas atividades de campanha. Ele foi operado e os médicos inseriram dois stents (pequenos tubos) em seus vasos sanguíneos.

"Durante um evento de campanha ontem (terça-feira) à noite, o senador Sanders sentiu algum desconforto no peito. Após avaliação e exames médicos, descobriu-se que ele tinha um entupimento em uma artéria, e dois stents foram inseridos com sucesso", informou o assessor de Sanders, Jeff Weaver.

"O senador Sanders está conversando e de bom humor. Ele descansará nos próximos dias", completou, observando que seus compromissos foram cancelados "até novo aviso".

Sanders, de 78 anos, é desde 1991 um legislador independente no Congresso americano, alinhado com os democratas: primeiro, como representante (deputado) de Vermont e, desde 2007, como senador.

Em 2016, perdeu a indicação nas primárias democratas para Hillary Clinton, que acabou sendo derrotada por Trump. Em fevereiro deste ano, o senador anunciou que disputaria as prévias do partido mais uma vez.

Nas pesquisas de intenção de voto, ele se mantém no segundo lugar, atrás do ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden, dois anos mais novo. Desde julho, este autointitulado "socialista" vem brigando pela posição ponto a ponto com a senadora por Massachusetts Elizabeth Warren, de 70 anos.

A idade de Sanders e de Biden já foi apontada como um dos problemas de ambas as candidaturas. Em geral, a saúde de Sanders é boa. Em março passado, ele machucou a cabeça e, depois de levar sete pontos, voltou rapidamente para a campanha. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.