Bhutto sai de casa após suspensão da prisão domiciliar

Ex-primeira-ministra é liberada após passar um dia detida; Musharraf faz reunião para discutir 'segurança'

Efe,

10 de novembro de 2007 | 09h31

A ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, que passou a sexta-feira em prisão domiciliar, saiu de casa neste sábado, 10, para continuar sua atividade política, enquanto o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, se reuniu com a cúpula militar para analisar a "segurança" no país. A líder do Partido do Povo do Paquistão (PPP) saiu neste sábado pela primeira vez de casa desde a suspensão da ordem de detenção, para ir a um encontro com os líderes de sua formação, segundo o canal privado Dawn. Antes, o porta-voz do PPP, Farhatullah Babar, disse que a reunião também contará com a presença de líderes da sociedade civil e insistiu em manter a "grande manifestação" convocada contra o presidente paquistanês para 13 de novembro. Musharraf está reunido com a cúpula militar do regime em Rawalpindi, cidade próxima a Islamabad. "O aumento da insurgência na fronteira (com o Afeganistão) não será tolerado", disse o general na reunião, segundo o canal Dawn. O encontro tem como objetivo analisar a ameaça islâmica no vale de Swat e na fronteira afegã-paquistanesa, onde os ataques contra as forças de segurança paquistaneses são constantes. Enquanto isso, os protestos de advogados e jornalistas continuam esta manhã em vários pontos do país. Em Lahore, centro comercial do país, a Polícia impediu uma manifestação de um grupo de jornalistas em frente à associação desses profissionais da cidade. Também foi mobilizado um forte esquema policial em várias zoas da província do Baluchistão, onde os advogados colocaram bandeiras pretas para protestar contra o Estado de exceção imposto pelo regime.

Tudo o que sabemos sobre:
BhuttoPaquistãoMusharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.