Bibi desmente pré-acordo anunciado por Mitchell

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin "Bibi" Netanyahu, deu ontem mais um banho de água fria na Casa Branca ao negar que seu governo esteja prestes a congelar a expansão de assentamentos na Cisjordânia, como querem os EUA. O anúncio foi feito às vésperas do encontro do premiê com o enviado do presidente americano Barack Obama ao Oriente Médio, George Mitchell.

AP, JERUSALÉM, O Estadao de S.Paulo

15 de setembro de 2009 | 00h00

No domingo, o enviado americano havia afirmado em Jerusalém que um acordo entre israelenses e palestinos para interromper a expansão dos assentamentos seria alcançado "nos próximos dias".

ENCONTRO EM NY

Mitchell está tentando nos bastidores viabilizar um encontro entre Obama, Netanyahu e o líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em Nova York, na próxima semana, durante a Assembleia-Geral da ONU.

Em nota oficial, contudo, o gabinete israelense afirmou que nenhum encontro do tipo consta na agenda do primeiro-ministro. No entanto, caso solicitado, Bibi poderá "postergar sua estadia em Nova York para uma eventual reunião", completaram seus assessores.

A Autoridade Palestina, por sua vez, afirmou que só se sentará à mesa de negociação com os israelenses depois que toda a expansão dos assentamentos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental for estancada.

País-chave do mundo árabe, a Arábia Saudita também endureceu sua posição, afirmando que Israel deverá concluir, incondicionalmente, a retirada dos territórios ocupados antes de ser reconhecido oficialmente pelos países árabes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.