REUTERS/Siegfried Modola
REUTERS/Siegfried Modola

Bibi se desculpa com comunidade árabe por comentários ofensivos

No dia da eleição, premiê 'alertou' sobre comunidade árabe ir 'votar em massa', mensagem considerada racista 

O Estado de S. Paulo

23 Março 2015 | 16h13

JERUSALÉM - O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, pediu desculpas à comunidade árabe em Israel pelos comentários ofensivos que fez numa rede social durante a eleição parlamentar ocorrida na semana passada.

Netanyahu foi acusado de racismo, especialmente pela minoria árabe, quando "alertou" os cidadãos que a comunidade árabe estava indo "votar em massa" em um esforço de grupos de esquerda financiados com dinheiro externo, para fazer com que o voto de árabes israelenses o colocasse em desvantagem na disputa. A mensagem escrita no Facebook foi interpretada como uma tentativa de convocar eleitores judeus conservadores.

O premiê disse reconhecer que seu comentário "ofendeu alguns cidadãos de Israel e a comunidade árabe-israelense". "Essa nunca foi minha intenção. Peço desculpas por isso", disse Netanyahu, que se reuniu com membros da comunidade árabe em sua residência, em Jerusalém.

Condenação. Um dia antes das eleições, o premiê israelense também criou polêmica ao dizer que, enquanto estivesse no poder, não haveria a consolidação de um Estado palestino.

No sábado, Barack Obama afirmou publicamente, pela primeira vez, que disse a Netanyahu que o discurso adotado por ele antes da votação abalou a negociação de paz com os palestinos. A condenação forte e incomum foi feita em uma entrevista ao site The Huffington Post.

"Eu disse a ele que, em razão do discurso priorizando as eleições, será difícil encontrar um caminho com pessoas que realmente acreditem que as negociações são possíveis", afirmou o presidente americano. /AP

Mais conteúdo sobre:
Israel Binyamin Netanyahu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.