Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
T.J. Kirkpatrick/The New York Times
T.J. Kirkpatrick/The New York Times

Biden acusa Trump de fracassar com venezuelanos após Senado vetar proteção a esses imigrantes

Democrata se pronuncia após o partido do presidente, o Republicano, bloquear pela quarta vez a legislação para conceder permissão temporária de permanência a cerca de 200 mil venezuelanos nos EUA

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2020 | 18h12

WASHINGTON - O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, acusou o presidente republicano, Donald Trump, de fracassar com os venezuelanos após o bloqueio no Senado de uma iniciativa para conceder proteção temporária nos Estados Unidos a quem teve de deixar o país sul-americano.

A Venezuela, mergulhada há anos em uma crise política agravada desde que Nicolás Maduro assumiu o segundo mandato, em 2019, após eleições questionadas, vive um desastre econômico que já causou a saída do país de mais de 5 milhões de pessoas, segundo a ONU.

"Os republicanos continuam demonstrando que todas as suas palavras duras sobre Maduro não passam de palavras vazias. Várias vezes, quando se tratou de tomar medidas reais, o presidente Trump e seus aliados republicanos falharam com o povo venezuelano", disse Biden em um comunicado.

O candidato e ex-vice-presidente americano falou depois que o Senado - controlado pelos republicanos - impediu a adoção acelerada de uma lei que garantiria a permissão temporária de permanência (TPS, na sigla em inglês) para imigrantes venezuelanos, uma iniciativa aprovada no ano passado pela Câmara dos Deputados, de maioria democrata.

"Essa é a quarta vez que os republicanos do Senado bloqueiam a legislação para conceder permissão temporária de permanência a cerca de 200 mil venezuelanos elegíveis que atualmente residem nos Estados Unidos e correm o risco de deportação", disse o gabinete do senador democrata Bob Menendez, promotor do texto, sobre votações anteriores.

Menéndez lembrou que, no mesmo dia da votação, uma Missão Internacional Independente das Nações Unidas publicou um relatório no qual concluiu que as execuções extrajudiciais e atos de tortura de Maduro constituem crimes contra a humanidade.

O governo Trump, conhecido por sua dura política de imigração, quer acabar com o TPS, criado na década de 90 para permitir que estrangeiros residam legalmente nos EUA, uma vez que, devido a desastres naturais ou instabilidade política, não podem retornar com segurança ao seu país.

Para Entender

Eleições nos EUA: entenda o processo eleitoral americano

Saiba como funcionam bipartidarismo, prévias, escolha dos vices, colégio eleitoral, votos, apuração e pesquisas na disputa presidencial dos Estados Unidos

Biden disse que apesar de ser capaz de aprovar o TPS unilateralmente, o governo Trump se recusou a apoiar a medida e deportou venezuelanos "impiedosamente".

"Os Estados Unidos devem proteger aqueles que já estão nos Estados Unidos de serem devolvidos ao regime opressor de Maduro", disse Biden, jurando que "como presidente" ele lhes concederá "imediatamente" esse benefício.

“Ao contrário do presidente Trump, estou comprometido com a restauração da democracia na Venezuela e em ajudar o povo venezuelano a reconstruir seu país”, disse ele.

Especialistas apontaram que, com o compromisso do TPS, Biden tem como alvo o eleitorado hispânico na Flórida, um Estado-chave para a vitória nas eleições de 3 de novembro. / AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.