Shawn Thew/EFE/EPA
Shawn Thew/EFE/EPA

Biden diz que tropas irão permanecer no Afeganistão até a retirada de todos os americanos

Ao discutir possibilidade, presidente não fez menção a afegãos que trabalharam com os EUA nos últimos vinte anos

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2021 | 21h10

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quarta-feira, 18, que as tropas do país poderão continuar em Cabul depois de 31 de agosto, se isto for necessário para concluir a retirada de todos os cidadãos americanos do país. 

"Se ainda houver americanos lá, vamos ficar até que possamos tirar todos", disse Biden em entrevista à emissora ABC News, que antecipou um trecho da conversa antes de exibir o material na íntegra.

Biden deixou claro que o objetivo é concluir a retirada até 31 de agosto. O presidente americano não mencionou como ficaria a situação dos afegãos que trabalharam com as tropas americanas durante os últimos 20 anos.

Segundo ele, há ainda entre 10 mil e 15 mil americanos no Afeganistão que precisam ser retirados, além de 50 mil a 65 mil afegãos que os EUA pretendem resgatar.

Os taleban assumiram o controle de Cabul no último domingo, 15, após seus combatentes terem entrado na capital sem resistência, com quase todas as províncias sob controle, e depois da fuga do até então presidente afegão, Ashraf Ghani.

Um dia antes, em 14 de agosto, os EUA aceleraram a retirada dos funcionários da embaixada, cidadãos americanos e colaboradores afegãos.

Até agora, cerca de 5 mil pessoas foram tiradas do Afeganistão pelos EUA, mas as autoridades americanas querem acelerar esse ritmo, afirmou nesta quarta-feira o chefe do Estado-Maior, general Mark Milley. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.