Biden entra em contrato com líderes do Iraque

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, entrou em contato por telefone com o primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, e um líder sunita que costuma criticar frequentemente o premiê, para demonstrar a preocupação dos Estados Unidos em relação a crescente onda de violência no país árabe.

AE, Agência Estado

07 de janeiro de 2014 | 06h24

Enquanto o premiê iraquiano pediu nesta segunda-feira que os residentes e as tribos de Faluya expulsem os combatentes da al Qaeda para evitar uma batalha generalizada, Biden reforçou o apoio do governo norte-americano na luta do Iraque contra os integrantes locais da al Qaeda.

O vice-presidente norte-americano afirmou que estava preocupado pelos que sofrem com os atos de terrorismo. Além disso, Biden elogiou a cooperação recente entre as forças armadas e as tribos do Iraque em Ambar, na fronteira com a Síria, onde os membros da al Qaeda são os mais interessados na saída do presidente Bashar Assad.

"O primeiro-ministro Maliki ressaltou a importância de trabalhar em estreita colaboração com os líderes e as comunidades sunitas do Iraque para isolar os radicais", disse a Casa Branca em comunicado o presidente do parlamento iraquiano, Osama al-Nujaifi, um líder sunita que se opõe ao governo de Maliki. Al-Nujaifi disse que está comprometido na luta contra o terrorismo, acrescentou a Casa Branca.Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
euabideniraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.