Justin Lane/EFE/EPA
Justin Lane/EFE/EPA

Biden confirma nomeação de ex-pré-candidato democrata Buttigieg como secretário de Transporte

Ex-prefeito de Indiana foi revelação na campanha eleitoral do partido; mídia norte-americana divulga que a ex-governadora de Michigan, Jennifer Granholm, é a escolhida para a pasta da Energia

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2020 | 16h42
Atualizado 16 de dezembro de 2020 | 04h53

   

WASHINGTON - O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou nesta terça-feira, 15, a nomeação de seu ex-rival nas primárias democratas Pete Buttigieg como secretário de Transportes, enquanto a mídia norte-americana divulgava que a ex-governadora de Michigan, Jennifer Granholm, é a escolhida para a pasta da Energia.

Em nota, o presidente eleito disse que oportunidades e desafios como "empregos, infraestrutura, equidade e clima" convergem no Transporte e espera que Buttigieg "conduza esse trabalho com interesse, decência e visão ousada".

Buttigieg, de 38 anos, poderia se tornar o primeiro membro da comunidade LGBTQI+ a ser confirmado pelo Senado dos Estados Unidos para um cargo no Gabinete.

O futuro secretário foi uma revelação na campanha eleitoral, passando de prefeito de uma pequena cidade em Indiana a uma sensação midiática em nível nacional, apesar de sua campanha ter perdido fôlego e de ele ter se retirado antes da "Super Terça", deixando o caminho livre para Biden.

Já a mídia norte-americana informou que Biden escolheu Granholm, que foi governadora de Michigan entre 2003 e 2011, para liderar a pasta de Energia.

Granholm é uma defensora do veículo elétrico e do desenvolvimento de tecnologias alternativas de energia, razão pela qual sua nomeação é interpretada como um endosso de Biden no combate à crise climática.

O Departamento de Energia está encarregado de manter o programa de armas nucleares, algo com o qual Granholm não tem experiência e que consome cerca de 75% de seu orçamento, cerca de US$ 27 bilhões.

Enquanto aguarda a oficialização da nomeação, Biden continua a desenhar o seu futuro Gabinete do qual fazem parte Antony Blinken como Secretário de Estado, Janet Yellen como Secretária do Tesouro e Alejandro Mayorkas como Secretário de Segurança Nacional.

O presidente eleito também nomeou Xavier Becerra como secretário de Saúde e Serviços Humanos, Lloyd Austin como chefe do Pentágono, Avril Haines diretora de Inteligência Nacional e Linda Thomas-Greenfield como embaixadora nas Nações Unidas.

Dos departamentos que ainda não foram selecionados, o de Justiça é o de mais alto nível, cargo que o gabinete de Biden disse que planeja anunciar antes do Natal./EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.