Biden pede que líder curdo trabalhe junto com premiê do Iraque

Vice-presidente americano afirmou que é preciso construir um governo iraquiano de diversidade; Abadi pede união entre iraquianos

O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2014 | 16h50

WASHINGTON - O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, incentivou o presidente do Curdistão iraquiano, Masoud Barzani, a trabalhar com o novo primeiro-ministro designado do país para "construir um governo de diversidade, inclusivo e representativo de todos os iraquianos", disse a Casa Branca nesta terça-feira, 12.

Em uma ligação telefônica, Barzani expressou apoio ao novo líder iraquiano, Haider al-Abadi, e disse ter "vontade de trabalhar com Abadi e outros líderes para unir comunidades diferentes e enfrentar os desafios econômicos, políticos e de segurança da nação", acrescentou a Casa Branca.

Abadi também pediu união a todos os iraquianos, informou seu escritório em comunicado. "O Iraque enfrenta hoje muitos desafios, o que requer uma combinação de esforços de todos para lutar contra o terrorismo, uma de nossas prioridades, já que ameaça o país como Estado."

De acordo com o primeiro-ministro, "a unidade não serviria apenas para formar o novo governo, mas para desenvolver uma vontade nacional única e comum que permita solucionar os problemas constitucionais, políticos e econômicos do Iraque".

Abadi convocou as Forças Armadas, polícia, voluntários e os clãs aliados para defender o país e felicitou aqueles que lutaram para proteger a unidade e a segurança dos iraquianos. "Peço aos países amigos e organizações internacionais e regionais a se posicionar junto ao Iraque nessas sensíveis circunstâncias para lutar contra o Estado Islâmico no Iraque e no Levante (Isil, na sigla em inglês), que cometeu massacres contra o povo iraquiano."

O novo presidente iraquiano, Fouad Massoum, encarregou Abadi de formar um novo governo no país para substituir o de Nouri al-Maliki no prazo de 30 dias. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUACurdistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.