Angela Weiss/AFP
Angela Weiss/AFP

Biden venceu primeiro debate contra Trump por 60% a 28%, diz pesquisa da CNN

Biden lidera a preferência dos eleitores para lidar com problemas como desigualdade racial e assistência médica, mas há empate quando a questão é economia

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2020 | 03h00

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, venceu o primeiro debate contra Donald Trump por 60% a 28%, de acordo com pesquisa realizada pela CNN após o fim da transmissão nesta terça-feira, 29.

Os eleitores que assistiram ao debate confiam mais em Biden para lidar com os grandes temas discutidos, como assistência médica (66%, contra 32% que optaram por Trump), desigualdade racial (66% a 29%), a pandemia do novo coronavírus (64% a 34%) e a indicação à Suprema Corte (54% a 43%).

Quando o tema é economia, a diferença diminui: 50% dos entrevistados acreditam que Biden faria um melhor trabalho que o atual presidente (48%). 

Segundo a CNN, o resultado desta pesquisa pós-debate é parecido com o da primeira vez que Hillary Clinton e Donald Trump se enfrentaram em 2016, com 62% dos espectadores atribuindo à ex-secretária de Estado dos EUA e 27% a Trump. 

A pesquisa mostra ainda que a escolha de voto da maioria dos espectadores (57%) não foi afetada pelo debate desta terça-feira. A margem de erro é de 6.3% para mais ou para menos.

Para Fox News, Trump ganhou o debate

Em sentido contrário à pesquisa da CNN, a emissora americana Fox News viu vitória de Donald Trump no primeiro debate. Em texto opinativo assinado pelo analista político Doug Schoen, o presidente foi apontado como vitorioso pelo "domínio do estúdio".

Schoen pontuou que o debate foi carente de ideias, e que provavelmente não vai converter votos de eleitores convictos e nem definir o dos indecisos. No entanto, considerou que o presidente Trump controlou o debate com seu estilo de argumentação.

"Em termos de substância real, no entanto, a noite foi um empate", afirmou o colunista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.