Sergei Gapon/AFP
Sergei Gapon/AFP

Bielo-Rússia confirma a morte de um manifestante preso

Mais de 6 mil pessoas já foram presas por participação em protestos contra a reeleição de Alexander Lukashenko no país

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2020 | 16h23
Atualizado 17 de agosto de 2020 | 09h01

MINSK - A Bielo-Rússia confirmou nesta quarta-feira, 12, a morte de um manifestante preso pelas forças de segurança durante os protestos contra a reeleição do presidente Alexandre Lukashenko. Essa é a segunda vítima da repressão brutal contra as manifestações que acontecem no país.

A Comissão de Investigação informou que a vítima, um homem de 25 anos, morreu num hospital, sem especificar a data exata, depois de ter sido detido no último domingo em uma “manifestação não autorizada” e após o seu estado de saúde “ter piorado repentinamente" durante a prisão.

Mais de 6 mil pessoas já foram detidas por participação em protestos contra a reeleição de Alexander Lukashenko no país. Após três dias de manifestações, o Ministério do Interior da ex-república soviética confirmou o número, em meio a denúncias de violência policial e pressão internacional.

Forças de segurança entraram em conflito com manifestantes após o presidente reivindicar uma vitória ampla de sua candidatura à reeleição, em uma eleição no domingo que seus adversários alegam ter sido manipulada. 

Manifestantes denuciaram nesta quarta-feira que a polícia disparou munição letal contra eles na cidade de Brest, intensificando a repressão que levou a União Europeia a avaliar novas sanções contra Minsk./AFP e Reuters 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.