Bielo-Rússia prende 50 jovens por guerra de travesseiros

Na Bielo-Rússia, autoritária nação ex-soviética, mesmo uma guerra de travesseiros pode ser vista como uma ameaça à segurança nacional. Ontem, a polícia dispersou cerca de 400 jovens que se reuniram em Minsk, capital do país, para marcar de forma bem-humorada a Batalha de Grunwald - que interrompeu a invasão dos cruzados católicos alemães no Leste Europeu, há cerca de 600 anos. Cerca de 50 jovens foram presos por causa da guerra de travesseiros.

AE-AP, Agência Estado

16 de julho de 2010 | 09h54

As autoridades costumam reprimir duramente as manifestações e protestos na Bielo-Rússia, um país considerado por muitos como medieval em suas ações para restringir a oposição e a mídia independente. Os Estados Unidos e algumas nações europeias apelidaram o presidente bielo-russo, Alexander Lukashenko, de "o último ditador da Europa". Autoridades locais não quiseram comentar as detenções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.