Biggs é levado para penitenciária

Ronald Biggs vai passar sua primeira noite numa prisão, após permanecer 35 anos foragido no Brasil. Após desembarcar no início da manhã numa base aérea militar no interior da Inglaterra, o líder do "assalto ao trem pagador", em 1963, foi imediatamente preso pela Scotland Yard e levado a uma clínica, sendo submetido a exames médicos. Os exames mostraram que Biggs estava apto para comparecer diante de um juiz. A sessão no tribunal durou oito minutos e o juiz determinou que o célebre criminoso cumpra os 28 anos restantes de sua sentença de prisão de trinta anos. Biggs foi levado em seguida à penitenciária de Belmarsh, em Londres, onde deve permanecer, pelo menos, nos próximos dias. A polícia e a Justiça britânicas fizeram questão de mostrar para a opinião pública que Biggs está sendo tratado como um criminoso comum, sem regalias. Mas os advogados de Biggs já anunciaram que vão tentar cancelar a sentença de prisão. Eles alegam que a saúde de Biggs, que 71 anos de idade, é muito precária e ele deve ser libertado por razões humanitárias. A polêmica em torno do retorno de Biggs ganhou novos contornos hoje com a iniciativa da Press Complaints Comission, órgão que regula a atuação da imprensa no país, de investigar o papel que o jornal tablóide The Sun exerceu no retorno do criminoso. Os jornais britânicos não podem, por exemplo, ofecer dinheiro a criminosos, para produzir reportagens. Mas é quase certo que o The Sun, que trouxe Biggs num jatinho do Brasil, pagou uma grande quantia em dinheiro para o ex-foragido da Justiça britânica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.