Biggs em Londres, já nas mãos da Scotland Yard

Após permanecer quase 35 anos foragido, Ronald Biggs, mentor do célebre ´Grande Assalto ao Trem´, em 1963, desembarcou na Inglaterra às 8h50, horário local (4h50, horário de Brasília), e já está nas mãos da Scotland Yard. Cerca de trinta minutos após a aterrisagem do jatinho particular fretado pelo jornal tablóide ?The Sun? na base aérea da Royal Air Force (RAF) de Northolt, em Middlesex, no interior do país, Biggs foi transportado num combio policial para um local não divulgado. Biggs viajou acompanhado de um de seus parceiros no célebre assalto da década de 60, Bruce Reynolds, além de jornalistas do ?The Sun?. Logicamente o retorno de Biggs é o principal assunto de quase todos os jornais da Grã-Bretanha hoje, que é feriado no país. Os dois principais aspectos que mais interessam os ingleses neste momento são os motivos que fizeram o criminoso retornar ao país e se ele vai ser preso para cumprir os 28 anos restantes de sua sentença de trinta anos de prisão pelo assalto ao trem postal entre Londres e Glasgow, que transportava 2,6 milhões de libras esterlinas.Para muita gente, Biggs, que tem 71 anos de idade, está retornando pois seu estado de saúde é precário após três ataques de coração e ele deseja passar os seus últimos dias em sua terra natal. Surgiram até notícias em jornais sensacionalistas de que ele teria apenas duas semanas de vida. Já outros acham que ele simplesmente está quebrado financeiramente e com o retorno patrocinado pelo The Sun, irá receber uma enorme quantia de dinheiro. Fala-se até num contrato de cerca de 1 milhão e meio de reais com o tablóide, apesar de os jornais britânicos serem proibidos de pagar qualquer quantia para criminosos com objetivo de produzir reportagens.Outro motivo de especulação é se ele terá que cumprir o restante de sua sentença, interrompida quando ele escapou da prisão na década de 60. As autoridades inglesas já deixaram claro que ele vai permanecer preso, mas ninguém sabe se Biggs fez um acordo prévio para retornar ao país. Os advogados do foragido anunciaram que estavam tentando negociar um indulto para seu cliente. Alguns setores da mídia já iniciaram uma pressão para que o criminoso seja tratado de uma forma especial diante de seu estado de saúde e pelo fato de ter se entregado. O provável é que ele seja colocado num hospital-prisão até que o seu destino seja esclarecido.Com o retorno de Biggs à Inglaterra, os britânicos podem estar testemunhando o fim da saga de uma das figuras mais noticiadas na imprensa do país ao longo dos últimos trinta anos, uma espécie de mito-vilão, cuja vida, para muitos glamorosa na "exótica" cidade do Rio de Janeiro, sempre foi objeto de grande interesse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.