Biggs volta à Inglaterra neste domingo

O governo britânico já entregou ao ladrão inglês Ronald Biggs, famoso pelo assalto ao trem Glasgow-Londres, em 1963, um passaporte para viabilizar o seu embarque de volta ao Reino Unido, o que deverá ocorrer até as 16 horas de amanhã. A diplomata britânica Liz Whanstann informou que ontem foi expedido o documento e confirmou que foi encaminhado a Biggs. Segundo informações oficiais da Scotland Yard, a operação de volta não tem a participação de nenhuma autoridade do país, e o assaltante será preso assim que chegar a território britânico.As especulações sobre o retorno de Biggs, de 71 anos, cresceram na noite de ontem, quando chegou ao Brasil um avião fretado pelo tablóide inglês The Sun, supostamente para levá-lo embora. Além de jornalistas, a aeronave trouxe o amigo e mentor do assalto, Bruce Reynolds, para reconduzir o assaltante ao país. A diplomata negou que houvesse autoridades do Reino Unido a bordo.A Polícia Federal brasileira confirmou que o consulado britânico no Rio a contactou para informar que Biggs deixaria o País. A PF informou que antes de partir o assaltante teria que firmar um documento dizendo que o faz por sua vontade. Foram os policiais brasileiros que informaram o horário da partida de Biggs, repassando informações do consulado britânico.A polícia londrina informou não ter informações oficiais sobre a volta de Biggs e deixou claro que a operação foi toda patrocinada pelo The Sun, sem participação direta do governo britânico. Uma porta-voz da Scotland Yard afirmou que nenhum policial britânico estava acompanhando os repórteres do jornal no Rio. Segundo ela, Biggs já manifestou vontade de retornar outras vezes e não o fez. "Se o fizer, vamos prendê-lo", declarou.O advogado de Biggs, Wellington Mouzinho afirmou que as "especulações" sobre o retorno do bandido para a Inglaterra continuariam "por um bom tempo". Mouzinho disse que Biggs e seu filho Mike estavam conversando com os jornalistas ingleses na manhã de ontem."Ele não é bobo de entrar em avião com agentes ingleses, pois sabe que será preso", considerou. Ele informou ainda que Biggs tem a esperança de conseguir um perdão do governo britânico.?Particularmente, acho isso impossível?, disse.?Para a Inglaterra é uma questão de honra tê-lo preso. Se ele botar os pés lá, será imediatamentelevado para um hospital penitenciário.? Há alguns dias, Biggs deixou sua casa em Santa Teresa, no Centro e se escondeu nos arredores da cidade. O ladrão ainda precisa cumprir uma pena de 28 anos. Em 1965, ele escapou da prisão londrina de Wandsworth seguindo, posteriormente, para o Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.