Bilionário russo é indiciado por soco ao vivo na TV

Alexander Lebedev, dono de um banco e de jornais na Rússia e na Grã-Bretanha, atribui processo a suas críticas a Putin.

BBC Brasil, BBC

27 de setembro de 2012 | 09h25

Um bilionário russo abertamente contrário ao governo foi indiciado nesta semana por truculência e agressão por conta de socos proferidos contra um investidor imobiliário durante um programa de TV ao vivo há mais de um ano.

Caso seja considerado culpado, o magnata Alexander Lebedev poderá ser condenado a até sete anos de prisão.

A agressão em questão aconteceu durante um debate acalorado sobre temas econômicos na TV russa em setembro de 2011.

O empresário de 52 anos acusa a Justiça de mover o processo contra ele por motivações políticas e compara seu caso ao da banda feminina de punk Pussy Riot.

Ele alegou ter agido em legítima defesa, argumentando que o investidor Sergei Polonski estava prestes a agredí-lo.

Lebedev foi indiciado por truculência e agressão "motivada por ódio político, ideológico, racial, nacional ou religioso ou ódio por um grupo social particular" - a mesma acusação que levou à condenação de três membros da Pussy Riot a dois anos de prisão em agosto.

O magnata, cuja fortuna foi estimada pela revista Forbes em US$ 1,1 bilhão (cerca de R$ 2,2 bilhões), foi proibido de deixar a Rússia até o julgamento, previsto para começar no fim de outubro.

Lebedev fez fortuna como dono de um banco na Rússia antes de se aventurar pelo setor de mídia.

Ele é sócio majoritário do jornal russo Novaya Gazeta, que faz oposição ao governo. Ele também é dono dos jornais britânicos The Independent e Evening Standard. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.