AFP PHOTO / POOL / JORGE SILVA
AFP PHOTO / POOL / JORGE SILVA

Bilionários pedem ao Congresso que impeça Trump de baixar seus impostos

Eles alegam que essa redução, no momento em que a dívida pública e a desigualdade estão crescendo, é um equívoco

O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2017 | 05h00

WASHINGTON - Mais de 400 bilionários americanos escreveram cartas para o Congresso pedindo que parlamentares republicanos não cortem seus impostos. A lista é composta por médicos, advogados, empresários e executivos de grandes empresas. O grupo argumenta que reduzir os impostos das famílias mais ricas, no momento em que a dívida pública e a desigualdade estão crescendo, é um equívoco. 

+++ Como um boxeador ajudou dois garotos de Miami a enriquecerem

“Não aprovem nenhuma lei que aumente ainda mais a desigualdade e a dívida”, pede o grupo Riqueza Responsável, composto por ricos que defendem causas progressistas. Entre eles, estão o CEO da sorveteria Ben & Jerry, Ben Cohen, o bilionário George Soros, a designer Eileen Fisher e o filantropo Steven Rockefeller. “Esse corte de impostos é absurdo”, disse Bob Crandall, ex-CEO da American Airlines. “Os republicanos dizem que não podem desperdiçar dinheiro e estão oferecendo esse benefício. É loucura.”

+++ Derrota eleitoral de Trump ameaça domínio republicano no Congresso

Cortar impostos de empresas e indivíduos é parte central do plano econômico do presidente Donald Trump para aumentar o crescimento econômico e a criação de empregos nos Estados Unidos. Há projetos de corte tanto no Senado quanto na Câmara e negociações estão em curso para aprovar uma lei que seja sancionada por Trump até o Natal. O projeto do Senado diminui a taxa de imposto de renda para milionários de 39,6% para 38,5%.

+++ Na Ásia, Trump diz ter ‘ótimo relacionamento’ com líder filipino

A Casa Branca e os republicanos no Congresso argumentam que a mudança permitirá mais investimentos na economia americana, uma vez que o dinheiro que não seria pago em impostos seria revertido em novos projetos. “Tudo no nosso sistema fiscal tem como objetivo encorajar o investimento”, disse o chefe do Conselho Econômico de Trump, Gary Cohn. “Não acredito que nosso plano seja feito para beneficiar os ricos.” 

+++ Um ano após vitória, Trump vê queda em popularidade e economia em alta

Os signatários da carta, no entanto, discordam da visão do governo. “Eu ganho muito dinheiro. Se eu ganho mais, não vou investir mais, vou juntar mais dinheiro”, disse Crandall. 

+++ Investigação sobre Rússia aumenta pressão por pedido de impeachment de Trump

O grupo critica em especial a tentativa do Congresso de eliminar o imposto sobre propriedades e heranças, que é pago sobre bens avaliados acima de US$ 5,49 milhões. A Câmara pretende eliminá-lo. O Senado quer ampliar o piso a partir do qual ele é cobrado, para propriedades acima de US$ 11 milhões. Cerca de 5 mil famílias pagam esse imposto atualmente nos EUA. 

+++ Diretora do Queens Museum ataca política anti-imigração de Trump

A perda de receita em dez anos seria de US$ 269 bilhões, segundo especialistas, bem mais do que os americanos gastam com o Centro de Controle de Doenças (CDC) ou com a Agência de Proteção Ambiental (EPA). Deputados republicanos de Califórnia, Nova York e New Jersey, mais moderados do que os congressistas partidários do corte, devem ser decisivos na votação.

+++ Filho de Trump recebeu mensagens do WikiLeaks durante campanha presidencial

Diversos membros do grupo de bilionários foram a Washington nos últimos dias dizer a seus congressistas que não precisam do corte de impostos. Muitos moram em Estados considerados mais liberais, como Massachusetts e Nova York. “É uma das poucas vezes na história que deputados receberam pressão de gente que não quer que seus impostos sejam cortados”, disse Mie Latham, um dos coordenadores do grupo. “Os ricos estão dizendo que não precisam disso.”

+++ Em cúpula, Duterte canta para Trump: 'você é a luz do meu mundo'

Pressão. Nas Filipinas, onde participa da cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), Trump pediu a redução da alíquota mais alta do imposto de renda para 35%. Membros da Câmara dos Deputados e do Senado debaterão seus respectivos planos nesta semana, antes do recesso do feriado do Dia de Ação de Graças, dia 23.

+++ Saiba mais sobre as Filipinas

Caso aprovada, a ampla reforma tributária defendida pelo Partido Republicano daria a Trump sua primeira grande vitória legislativa. “Estou orgulhoso da Câmara dos Deputados e do Senado por trabalharem tão duro para cortar impostos. Estamos chegando perto!”, escreveu Trump em sua conta no Twitter.

+++ Trump faz caretas durante aperto de mão coletivo com líderes asiáticos

O presidente vem pressionando para que o projeto de lei da reforma tributária inclua uma medida que revogue a exigência de que todos os americanos tenham planos de saúde ou paguem uma multa. Nem a Câmara nem o Senado apresentaram propostas com este tipo de provisão. Os projetos de reforma tributária que tramitam na Câmara e no Senado custariam cerca de US$ 1,5 trilhão cada, o que aumentaria o déficit orçamentário dos EUA. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.