Bill Clinton aparece ao lado de Hillary em comício

Ex-presidente diz que apoiaria a mulher mesmo se não fossem casados

Agencia Estado

03 Julho 2007 | 15h26

Pela primeira vez desde que lançou sua pré-candidatura à Presidência dos Estados Unidos, a senadora democrata Hillary Clinton apareceu na segunda-feira ao lado do marido, o ex-presidente Bill Clinton, em um evento importante na corrida pela Casa Branca. Em um comício do Partido Democrata no Estado de Iowa, Bill Clinton disse que sua mulher é o candidato mais qualificado e que a apoiaria mesmo se não fossem casados. "Vocês nunca terão alguém na Casa Branca que se preocupe mais sobre como cada decisão sua vai afetá-los", disse Bill Clinton aos democratas. Ao tomar a palavra depois da apresentação do marido, Hillary brincou: "se eu fosse tão esperta como Bill diz, eu não falaria nada". Até agora, Bill Clinton havia se concentrado em arrecadar fundos para a campanha da mulher e os dois haviam aparecido juntos poucas vezes na campanha, nunca em um grande evento como esse. O Estado de Iowa é considerado estratégico por ser um dos primeiros a escolher o candidato de cada partido às eleições de 2008. No final do mês, o casal deverá viajar a New Hampshire, outro Estado considerado chave na escolha dos candidatos. Analistas afirmam que Hillary Clinton se arrisca ao usar o marido na campanha, pois o carisma de Bill Clinton poderia ofuscar a candidata e lembrar os eleitores de escândalos passados, como o caso do então presidente com a estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky. Segundo um porta-voz da campanha de Hillary Clinton, o ex-presidente deverá se concentrar em falar aos apoiadores sobre a experiência da candidata e sobre seus esforços em prol de mulheres e crianças. Hillary Clinton enfrenta outros fortes candidatos do Partido Democrata, como o senador Barack Obama e o ex-senador John Edwards. No domingo, a equipe de Obama anunciou que já arrecadou US$ 32,5 milhões para a sua campanha eleitoral, mais do que os cerca de US$ 27 milhões levantados por Hillary Clinton.

Mais conteúdo sobre:
EUA internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.