Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bin Laden acusa talebans de traição, diz jornal saudita

Osama bin Laden denunciou a "traição dos talebans" depois do ataque dos Estados Unidos ao Afeganistão, em um "testamento" atribuído a ele na edição de hoje de um jornal saudita. De acordo com o documento, concluído no dia 14 de dezembro de 2001 e publicado hoje pelo jornal Asharq al-Awsat, Bin Laden denuncia a "traição dos talebans", a milícia fundamentalista islâmica expulsa de Cabul no final de 2001."Sem essa traição, a situação não seria o que é atualmente", escreve Bin Laden no documento, que, segundo o jornal, é de sua autoria. O documento foi publicado de forma incompleta. O texto está escrito à máquina e não foi assinado. Bin Laden denuncia "a traição e a infidelidade dos talebans, dos quais um grande número fugiu do campo de batalha" no Afeganistão. "Contrariamente ao que se esperava", explica o suposto testamento, "temos visto soldados de nosso país que agitaram a bandeira branca e se renderam, como mulheres sem nenhuma força". O documento afirma que "poucos talebans resistiram". Osama bin Laden faz um apelo para que seus "filhos" continuem combatendo depois da sua morte, integrados à Al-Qaeda, "que eu construí ao lado de Ayman al-Zawahiri", o número dois da rede de militantes. O documento publicado hoje traz a data de 14 de dezembro, quando as forças norte-americanas tentavam capturar Bin Laden e estreitavam o cerco em torno de Tora Bora, no leste do Afeganistão, com a convicção de que o chefe da Al-Qaeda se encontrasse nessa região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.