Bin Laden exige que países europeus deixem o Afeganistão

O líder da Al Qaeda, Osama bin Laden,exigiu, em gravação transmitida na quinta-feira pela TV AlJazerra, que os países europeus suspendam sua cooperaçãomilitar com os Estados Unidos no Afeganistão. Ele afirmou que o poderio norte-americano está se esvaindoe que seria sensato por parte dos europeus saírem rapidamentedo Afeganistão. Vários países europeus contribuem com a forçade 50 mil soldados da Otan e com a coalizão internacional,liderada pelos EUA, que combate o Taliban e a Al Qaeda no país. "Com a graça de Deus, a maré americana está recuando, eeles vão acabar voltando para seu lar, do outro lado doAtlântico. É do seu interesse [dos europeus] forçar a mão para[afastar] seus políticos da Casa Branca", diz a voz, que soaigual à de Bin Laden. Quando os EUA deixarem o Afeganistão, disse Bin Laden, osdemais países da região vão "acertar suas contas". A Al Jazeera não informou como obteve a gravação. Nostrechos divulgados, Bin Laden diz que o Taliban não sabia dosatentados realizados pela Al Qaeda em 11 de setembro de 2001nos EUA. "Sou o único responsável. O povo e o governo afegão nadasabiam desses fatos", afirmou, acrescentando que os EUA nuncaapresentaram provas de envolvimento do Taliban que justificassea invasão no final de 2001. "A Europa marchou detrás [dos EUA]sem escolha senão ser um lacaio", acrescentou. O Afeganistão vive uma crescente onda de violência nosúltimos dois anos, desde que o Taliban retomou sua insurgência,na tentativa de derrubar o governo pró-ocidental e expulsar asforças estrangeiras. Bin Laden acusou as forças estrangeiras de cometerematrocidades no Afeganistão. "A maioria das vítimas dos seus bombardeios sãopropositalmente crianças e mulheres. Vocês sabem que nossasmulheres [muçulmanas] não lutam, mas vocês as alvejam atédurante festividades, para quebrar o moral dos mujahideen [osque fazem a guerra santa]", afirmou. A última mensagem de Bin Laden havia sido divulgada em 22de outubro. Nela, o militante de origem saudita conclamava àunidade entre os insurgentes iraquianos. Um site islâmico prometeu divulgar em breve a íntegra dagravação. Militantes pró-Al Qaeda acusam a Al Jazeera de terocultado partes importantes da última gravação de Bin Laden. Segundo uma autoridade contra-terrorismo dos EUA, a voz doáudio divulgado nesta quinta "parece ser a de bin Laden". (Reportagem adicional de Inal Ersan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.