Bin Laden pede a iraquianos que "castiguem" partidos do governo

O líder do grupo terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, pediu neste sábado aos iraquianos que "castiguem" os partidos que participam do processo político.Em um áudio atribuído a Bin Laden e reproduzido pelo canal catariano Al Jazira, o dirigente de origem saudita assegurou que a única forma de expulsar as forças estrangeiras é através da luta.O líder da Al Qaeda também assegurou na fita, a segunda em dois dias, cuja autenticidade ainda não foi comprovada, que "os isolados do povo do Islã no Iraque (os sunitas) se expõem ao extermínio nas mãos dos governos de Al-Jaafari e Al-Maliki"."O primeiro passo para conseguir a estabilidade no Iraque é enfrentar os exércitos dos cruzados através da luta e castigar partidos, como os de Al Jaafari, Al-Hakim, Allawi e Tareq Al-Hashemi, que mentiram para o povo dizendo a ele que o modo de expulsar os ocupantes é participar do processo político", disse. O Governo do xiita Al-Jaafari foi o encarregado de elaborar a primeira Constituição após a queda do regime de Saddam Hussein em abril de 2003.Al-Jaafari, assim como o atual chefe do governo, Nouri al-Maliki, pertence à xiita Aliança Iraquiana Unida (AUI), a maior força política dentro do Parlamento.Iyad Allawi é membro da formação laica xiita Lista do Acordo Nacional Iraquiano e foi nomeado chefe do governo iraquiano transitório após a queda de Saddam.Abdel Aziz al-Hakim, líder da Assembléia Suprema para a Revolução Islâmica, principal partido xiita da AUI, criticou os governos do Iraque desde a ocupação e pediu às tropas de ocupação que deixem o país e castiguem os partidos que participam do processo político.Tareq Al-Hashemi, o único dirigente sunita a que se refere Bin Laden, é líder do Partido Islâmico Iraquiano, um dos três integrantes da sunita Frente do Consenso Iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.