Bin Laden pede derrubada de presidente da Somália

O milionário saudita no exílio Osama bin Laden, líder da rede extremista Al-Qaeda, conclamou os militantes islâmicos da Somália a derrubarem o novo presidente do país. A conclamação faz parte de uma nova gravação em áudio atribuída a Bin Laden publicada em uma página na internet conhecida por divulgar mensagens de extremistas islâmicos. A gravação de 11 minutos e meio de duração, intitulada "Lutem, defensores da Somália", tem como objetivo organizar os radicais islâmicos em um momento no qual o novo presidente da Somália, o islamita moderado xeque Sharif Sheik Ahmed, tenta dividir as fileiras rebeldes e atrair apoio a seu governo.

AE-AP, Agencia Estado

19 de março de 2009 | 10h16

Na mensagem, Bin Laden desqualifica o novo presidente como "vira casaca" e "fantoche" dos Estados Unidos. Segundo o líder da Al-Qaeda, a escolha de Ahmed foi induzida pelo enviado americano ao Quênia", uma menção ao embaixador dos EUA em Nairóbi. Eleito pelo Parlamento somali em janeiro, Ahmed "trocou de lado e aliou-se com o infiel" em um governo de unidade nacional, diz Bin Laden. Ele acusa o novo presidente de ter abandonado a religião ao entrar para o governo.

Ahmed "deve ser destronado e combatido", conclama Bin Laden, reforçando que os rebeldes islâmicos são "obrigados a continuar lutando contra o governo apóstata". A mensagem de Bin Laden concentra-se integralmente na Somália, sinalizando o crescente interesse da Al-Qaeda neste país africano sem governo central desde 1991.

Tudo o que sabemos sobre:
SomáliaBin Ladenmensagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.