Bin Laden pode estar morto, diz presidente do Paquistão

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, disse hoje que suas agências de inteligência acreditam que Osama Bin Laden pode estar morto, mas acrescentou que não há provas. Em entrevista a meios de comunicação internacionais, ele afirmou que funcionários norte-americanos disseram a ele que não sabem onde Bin Laden está. "Eles são muito mais informados", disse Zardari. "Eles estão atrás dele há muito tempo. Eles têm mais equipamentos, mais inteligência e disseram que não têm sinais dele no momento."

AE-AP, Agencia Estado

27 de abril de 2009 | 16h51

Zardari acrescentou que as agências de inteligência de seu país "obviamente acreditam que ele não está mais vivo", mas o presidente não explicou como ou quando eles chegaram a essa conclusão e disse que Bin Laden "pode estar morto". "Isso não está confirmado. Não podemos confirmar essa informação", disse ele. "(A morte de Bin Laden) continua entre a ficção e o fato".

Já outros funcionários paquistaneses e um funcionário norte-americano de contraterrorismo disseram achar que o chefe da Al-Qaeda está vivo. O funcionário norte-americano disse que é provável que Bin Laden esteja se escondendo nas montanhas ao longo da fronteira do Paquistão com o Afeganistão, especificamente em regiões tribais onde o governo não tem domínio. "Continuamos a acreditar que Bin Laden está vivo", disse o funcionário norte-americano, que não quis ter seu nome divulgado.

A última gravação em que Bin Laden apareceu foi divulgada em março, na qual ele se referia à ofensiva israelense ocorrida entre dezembro e janeiro na Faixa de Gaza. Ele também falou sobre a eleição de janeiro do presidente da Somália, que tem apoio da Organização das Nações Unidas, e pediu que ele fosse deposto.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoBin Ladenmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.