BIN LADEN TEMIA SER TRAÍDO PELA MULHER

Informação é de investigador do Paquistão

O Estado de S.Paulo

10 de março de 2012 | 03h05

Um investigador nomeado pelo governo paquistanês para apurar como Osama bin Laden viveu por anos no complexo de Abbottabad, nos arredores de Islamabad, começou ontem a apresentar suas conclusões preliminares. Entre elas, duas saltam aos olhos. A primeira é que Bin Laden sofreria de uma doença renal crônica e "poderia estar completamente senil". A segunda, que ele temia ser traído por sua mais antiga mulher, a saudita Khairiah Sabar.

Investigadores interrogaram moradores da casa onde vivia o número 1 da Al-Qaeda até ser morto por marines americanos. Khairiah e outras duas mulheres de Bin Laden serão processadas por permanecer ilegalmente no país.

Entre parentes e seguranças, viviam em Abbottabad com o líder jihadista 27 pessoas. Tudo ia bem até a chegada de Khairiah, no início de 2011. "Todo mundo tinha muitas suspeitas em relação a ela. Ninguém confiava nela", disse ao jornal The Guardian o investigador oficial, o brigadeiro da reserva Shaukat Qadir. Bin Laden temia que ela revelasse seu paradeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.