Bioterroristas podem atacar fazendas dos EUA, dizem especialistas

Os rebanhos e as safras comerciais dos Estados Unidos (EUA) estão altamente vulneráveis a ataques terroristas e precisam de um plano nacional para identificar ameaças, direcionar pesquisas e responder às ocorrências potenciais, segundo relatório de especialistas enfocado em matéria desta sexta-feira do The Washington Post, citada pela agência Dow Jones.Segundo o jornal, a Academia Nacional de Ciências disse que, apesar de ser "muito improvável que resulte em fome ou má nutrição", o bioterrorismo pode trazer "alto custos diretos e indiretos à economia agrícola". O relatório também alerta para "efeitos de saúde adversos", causados por agentes que migram dos animais para o homem, bem como "perda de confiança no sistema alimentar (...) e preocupação e confusão do público", segundo o Post.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.