Birmanesa é comparada a Mandela e Gandhi

Aung San Suu Kyi não havia nem mesmo iniciado seu primeiro discurso no Ocidente em 24 anos e 4 mil embaixadores, ministros, jornalistas e membros de ONGs levantaram-se em uma sala lotada na ONU para aplaudir a líder da oposição em Mianmar. A ativista recebeu ontem nas Nações Unidas um tratamento que poucos chefes de Estado teriam. Emocionada, Suu Kyi admitiu que não esperava essa recepção. "Não sei por que dizem que sou valente. Estou terrivelmente nervosa", disse. "É um dia emocionante para nós", afirmou Juan Somavía, diretor-geral da OIT, comparando a birmanesa a Nelson Mandela e Mahatma Gandhi. No fim da cerimônia, Suu Kyi passou mal e chegou a vomitar. A ativista alegou que estava "exausta", pois havia enfrentado uma longa viagem de avião e não tinha se adaptado ao fuso horário local. / J.C.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.