Bisneto de Churchill é condenado por tráfico de drogas

Nicholas Jake Barton foi julgado culpado de participar de uma operação para fornecer pastilhas de ecstasy

Efe,

20 de dezembro de 2007 | 02h59

Um bisneto de Winston Churchill, primeiro-ministro do Reino Unido nas décadas de 40 e 50, foi condenado nesta quinta-feira, 20, a 20 meses de prisão, depois de ser considerado culpado de tráfico de drogas por um tribunal de Sydney. Nicholas Jake Barton, de 34 anos, foi julgado culpado de participar de uma operação para fornecer pastilhas de ecstasy no valor de US$ 13 milhões. No entanto, o juiz Colin Charteris, na hora de emitir a sentença, alegou que o réu teve "um papel limitado no fornecimento das drogas apreendidas pela Polícia" e não tirou proveito econômico. Em janeiro, policiais apreenderam 10 quilos de pastilhas de ecstasy e outros 12 quilos de anfetamina para elaborar a droga em uma casa em Sydney, que Barton tinha alugado de Reese Gérard Woodgate, o principal acusado. Barton alegou não saber que Woodgate estava envolvido no tráfico de drogas. Mas reconheceu que depois, quando descobriu, não fez nada para impedir o crime. Devido às circunstâncias, Barton ficará em regime de terceiro grau penitenciário. Assim, em fevereiro ele poderá visitar a sua mãe, Arabella Spencer Churchill, neta de Winston Churchill, que está em um hospital do Reino Unido, com câncer.

Tudo o que sabemos sobre:
Austráliatráfico de drogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.