Bispo americano cede autoridade para não ser processado

O bispo católico de Fênix, capital do Arizona, abriu mão de parte de sua autoridade, num acordo sem precedentes com a promotoria pública. O acerto poupará o bispo Thomas O´Brien de um processo por acobertar padres molestadores de crianças. Ao assinar o acordo, o bispo reconhece ter permitido que suspeitos de abusos sexuais continuassem a lidar com crianças, e ter transferido padres acusados de crimes sexuais sem avisar as novas dioceses do problema.O´Brien é o líder espiritual dos 430.000 católicos do Arizona desde 1981. O promotor do condado de Maricopa, Rick Romley, diz que há provas suficientes para processar o bispo por obstrução da Justiça, mas que preferiu propor o acordo porque os termos permitem ?proteger crianças no futuro?.O texto assinado pelo bispo apresenta diversas concessões por parte da autoridade eclesiástica e da diocese. O´Brien concorda em nomear um moderador para a Cúria, o equivalente a um chefe de gabinete, que supervisionará a administração do dia-a-dia da diocese. Acusações de abuso sexual contra padres não serão mais decididas pelo bispo. Em vez disso, um advogado independente administrará as queixas. Se o bispo interferir, poderá ser processado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.