Bispo filipino também pede cassação de Arroyo

O bispo filipino Deogracias Yñiguez, da diocese de Caloocan, apresentou nesta quarta-feira aoCongresso o terceiro pedido nesta semana de abertura de processo de cassação da presidente Gloria Macapagal Arroyo. Yñiguez acusa Macapagal Arroyo de violar aConstituição, de corrupção e abuso de poder, alegando que a governante cometeu fraude eleitoral em 2004. Membro da Conferência de Bispos Católicos das Filipinas (CBCP), ele declarou à imprensa que sua decisão é "uma postura pessoal". Em julho de 2005, no auge da crise política, a CBCP evitou assumir uma posição e recomendou ao governo a criação de uma Comissão da Verdade para esclarecer todas as acusações contra apresidente e sua família. Vários grupos civis já haviam apresentado na segunda-feira um pedido de cassação. No dia seguinte, foi a vez do ex-vice-presidenteTeofisto Guingona. Segundo o ex-vice-presidente, o objetivo do seu pedido foi uma opção, caso o primeiro seja rejeitado por errostécnicos. A solicitação dos grupos civis pode ser recusada por não respeitar o período de proibição para apresentar um novo processo de cassação. A Constituição filipina só permite um processo de impeachment por ano. Em setembro de 2005, o Congresso rejeitou um pedido semelhante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.