Bispos americanos podem excomungar políticos favoráveis ao aborto

Autoridades da Igreja Católica dos Estados Unidos mantiveram sua política de deixar os bispos locais decidirem se excomungam os políticos de suas dioceses que se manifestarem a favor do aborto.A decisão foi anunciada por uma comissão de bispos reunidos numa Conferência Episcopal em Los Angeles.Segundo o arcebispo de Washington, cardeal Theodore McCarrick, essa política já tinha sido aprovada pelos bispos em reunião de 2004. Naquele ano, o aborto foi um dos temas mais discutidos na campanha para as eleições presidenciais. McCarrick explicou que a avaliação dos bispos locais é insubstituível, porque vai pesar "as vitais relações com as autoridades políticas católicas na sua própria diocese".O presidente George W. Bush, republicano protestante e conservador, se opõe ao aborto, à eutanásia e à pesquisa com células-tronco embrionárias humanas. Seu rival na eleição de 2004, o senador democrata John Kerry, católico, não se opõe à interrupção voluntária da gravidez.McCarrick teme que o intenso debate que polarizou a política nos EUA tenha contaminado os católicos e "até a conferência". A Igreja Católica americana vive uma profunda crise provocada principalmente por freqüentes denúncias de abusos sexuais praticados por religiosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.