Bispos preparam relatório sobre abuso sexual na igreja

Bispos irlandeses vão, um a um, entregar ao Papa Bento XVI um relatório do que sabem sobre décadas de abuso sexual por parte do clero, mas ninguém deve renunciar durante a cúpula extraordinária do Vaticano sobre o tema. "Uma vítima de tudo isso tem sido a verdade", disse Joseph Duffy, bispo de Clogher, no dia anterior ao início do encontro de dois dias. "A verdade precisa vir à tona, tudo precisa ser colocado na mesa."

AE-AP, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2010 | 20h50

Duffy, um porta-voz da Conferência dos Bispos Irlandeses, disse que a igreja foi "assumidamente mais lenta do que precisava ser" em lutar contra uma "cultura de encobrimento". No ano passado, uma investigação revelou que os líderes da igreja em Dublin gastaram décadas protegendo padres que haviam abusado de crianças enquanto muitos clérigos faziam vistas grossas.

Um relatório em separado da Irlanda havia sido publicado meses antes documentando décadas de abusos sexuais, físicos e psicológicos em escolas católicas, asilos de pobres e orfanatos. As revelações chocaram a nação predominantemente católica, e vítimas rapidamente exigiram que alguns bispos renunciassem. Muitos deles concordaram, incluindo dois que decidiram sair em pleno natal, mas outros têm se recusado a retirar a batina.

Entre os 24 bispos que participarão da cúpula está Martin Drennan, de Galway, que tem recusado os pedidos para que renuncie. Duffy disse que a reunião com o papa não tem a intenção de tratar dos desligamentos. "Essa questão não está na agenda dos bispos porque não faz parte da nossa prerrogativa", afirmou Duffy. Ele disse que a cúpula vai tratar da "enorme injustiça e crueldade" com as vítimas e, de modo mais amplo, com os crentes irlandeses. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Vaticanobisposabusos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.