Blair admite que invasão do Iraque foi um desastre

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, admitiu pela primeira vez que a invasão do Iraque pelas tropas anglo-americanas foi um desastre. A declaração foi feita à emissora catariana de TV Al Jazira e posteriormente foi esclarecida por um porta-voz governamental. Em entrevista transmitida na noite de sexta-feira pelo jornalista britânico David Frost, um dos astros do novo canal em inglês da emissora catariana, Blair concordou com a colocação de que a intervenção ocidental no Iraque "foi até agora bastante desastrosa". Em resposta a essa afirmação de Frost, o chefe de Governo disse: "foi, mas o que eu digo ao povo é: Por que é difícil no Iraque?". "Não é por algum acidente no planejamento, mas porque há uma estratégia deliberada - Al Qaeda com insurgentes sunitas, por uma parte, e elementos apoiados pelo Irã com milícias xiitas, por outra - para criar uma situação na qual a vontade de paz da maioria é deslocada pela vontade de guerra de uma minoria", explicou. Frente à repercussão causada pela declaração no Reino Unido, um porta-voz de Blair se apressou para esclarecer que o primeiro-ministro não admitiu que a violência no Iraque seja um desastre, mas, simplesmente, "estava aceitando a pergunta de forma educada antes de expor seu ponto de vista". "Apresentá-la como uma admissão é uma falsidade", acrescentou a fonte. Na mesma entrevista, Blair reiterou seu chamado ao Irã e à Síria para que se envolvam mais na busca de uma solução para o conflito no Oriente Médio já que, caso contrário, enfrentarão o isolamento internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.