Blair adverte que o terrorismo ameaça todo o mundo

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, advertiu que "todos os países do mundo estão sob a ameaça do terrorismo" e reiterou que as tropas de seu país permanecerão no Iraque até que a situação de segurança permita sua retirada. Blair fez estas declarações à emissora Channel Nine de Canberra, cidade à qual chegou acompanhado do primeiro-ministro, John Howard, após presenciar no fim de semana o encerramento dos Jogos da Commonwealth em Melbourne. Ele justificou a presença armada estrangeira no Iraque como forma de contribuir para a democracia e louvou a política antiterrorista da Austrália, que também tem tropas no país árabe. Ainda assim, Blair insistiu que a Austrália sofre uma ameaça terrorista real e citou como exemplo que os terroristas suicidas que perpetraram os atentados de Londres em julho tinham nascido no Reino Unido. Blair discursará hoje perante o Parlamento australiano para ler o segundo de uma série de três discursos sobre a política externa britânica no qual definirá a importância das alianças globais. O governante descartou se reunir com Terry Hicks, o pai de David Hicks, o único australiano detido na base americana de Guantánamo por supostas atividades terroristas. Hicks deseja pedir a Blair que seu Governo não se oponha à decisão dos tribunais britânicos de conceder a seu filho a cidadania britânica.

Agencia Estado,

27 Março 2006 | 00h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.