Blair chega ao Afeganistão para visitar tropas britânicas

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, visitou nesta segunda-feira as tropas do Reino Unido destacadas no Afeganistão. A viagem não foi anunciada previamente por motivos de segurança. "Sabemos que a única forma de garantir a paz é estando dispostos, às vezes, a lutar por ela", disse Blair. O premier conversou com representantes dos 4.500 militares britânicos destacados nessa província, de um total de seis mil em todo o Afeganistão, e lhes expressou "o orgulho e o respeito" que o país inteiro sente pelo que estão fazendo ali, segundo informa a agência britânica "Press Association". Após visitar as tropas, o primeiro-ministro se transferiu à capital, Cabul, para reunir-se com o presidente afegão, Hamid Karzai, e o comandante das forças da Otan no país asiático, o general britânico David Richards. No domingo, Blair reiterou no vizinho Paquistão sua determinação de apoiar o Governo de Karzai e seu compromisso com o Afeganistão. "Achamos que (esse compromisso) é de importância fundamental para nossa própria segurança e agüentaremos o que fizer falta até que nossa tarefa acabe", assegurou. Enquanto isso, o Governo britânico reagiu friamente ao pedido ao Ocidente, no domingo, pelo presidente paquistanês, Pervez Musharraf, para que ajude seu país a libertar as regiões do sudeste das garras dos talibãs. Musharraf afirmou em entrevista coletiva conjunta que falou com Blair sobre a necessidade de uma espécie de novo plano Marshall para o desenvolvimento dessa parte do país, como o que ajudou a reconstrução européia após a Segunda Guerra Mundial. No entanto, um porta-voz de Blair explicou que o Reino Unido já havia concedido aproximadamente US$ 950 milhões de ajuda ao desenvolvimento do Paquistão, e acrescentou que em janeiro uma conferência de doadores comprometeu US$ 10,5 bilhões.

Agencia Estado,

20 Novembro 2006 | 06h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.