Blair deixará o governo em maio de 2007, diz TV britânica

O primeiro-ministro do Reino Unido, o trabalhista Tony Blair, abandonará a chefia do Governo em 4 de maio de 2007, segundo fontes do Partido Trabalhista citadas nesta quinta-feira pela rede de televisão "Sky News".O próximo 4 de maio é o dia seguinte à realização das eleições autônomas na Escócia e em Gales, e do pleito municipal na Inglaterra.Se a data for confirmada, Blair deixaria o cargo após completar uma década como primeiro-ministro, um marco sem precedentes na história dos líderes trabalhistas britânicos.No entanto, o número 10 de Downing Street, escritório e residência oficial do primeiro-ministro, respondeu que essa informação não tem fundamentos.Espera-se que o próprio Blair revele ainda nesta quinta-feira a data de sua saída do poder, depois de oito membros do Executivo renunciarem nesta quarta-feira em protesto contra a hesitação do líder trabalhista em anunciar a data de seu afastamento do poder.Downing Street não informou quando o líder britânico se pronunciará nesta quinta-feira. Pela manhã, ele recebeu a imprensa após um encontro na residência oficial com o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsein Loong, mas não respondeu às perguntas dos jornalistas.A crise estourou nesta quarta-feira, quando oito deputados trabalhistas - o subsecretário de Estado de Defesa, o deputado Tom Watson, e outros sete membros do Governo - renunciaram em protesto contra a liderança de Blair.Downing Street tentou conter o crescente descontentamento de muitos parlamentares trabalhistas, enquanto vários ministros leais a Blair asseguraram que o governante se afastará em um ano.Segundo a edição desta quarta-feira do jornal sensacionalista "The Sun", Blair renunciaria em 31 de maio à liderança trabalhista e abandonaria em 26 de julho, antes do recesso parlamentar, a chefia do Governo, algo que não foi confirmado oficialmente.O primeiro-ministro anunciou em 2005, após conseguir um histórico terceiro mandato para seu partido, que não concorreria a uma quarta legislatura nas próximas eleições gerais, previstas para 2010, mas se negou a determinar a data de seu afastamento.No entanto, cada vez mais deputados trabalhistas exigem do primeiro-ministro um calendário para ceder o poder ao influente ministro da Economia, Gordon Brown, considerado seu sucessor natural.A imprensa britânica afirma que Blair e Brown realizaram nesta quarta-feira uma "acirrada reunião" sobre o futuro do Partido Trabalhista, em meio a rumores sobre a possibilidade de que o próprio titular de Economia tenha orquestrado em segredo a rebelião trabalhista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.