Blair deve renunciar na semana que vem, dizem jornais

Os jornais do Reino Unido especulam que o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, deverá deixar o cargo após o resultado das eleições regionais desta quarta-feira, 2, que escolherão subprefeitos na Inglaterra e deputados para o Parlamento da Escócia e a Assembléia do País de Gales. A saída de Blair poderia ocorrer por volta do dia 10 de maio, segundo algumas publicações. "Blair, que disse aos seus aliados esperar um severo retrocesso nas urnas, vai dar o seu apoio a (Gordon) Brown (atual ministro da Economia) após 10 de maio, quando o primeiro-ministro anunciar que está renunciado", diz o texto do The Independent.Os jornais noticiaram que os ministros do gabinete de Blair prometeram colaborar para que seja uma "transição suave". Fratura "John Reid, ministro do Interior, indicou que não pretende mais desafiar Brown pela liderança do Partido Trabalhista, dizendo que ´não haverá uma fratura´ no topo do partido", diz o Financial Times."Tessa Jowell, ministra da Cultura, e Patricia Hewitt, ministra da Saúde, - ambas aliadas de Blair - previram que o primeiro-ministro vai apoiar Brown para a liderança quando finalmente anunciar sua partida", publica The Daily Telegraph, que descreve as declarações dos ministros como uma "operação coordenada".Estaria descartada, portanto, uma disputa entre os trabalhistas "Blairities" e "Brownites", como são chamados os aliados de Blair e Brown pela imprensa britânica."Pela primeira vez em um longo tempo, o nº 10 (de Downing Street, residência oficial de Blair), o nº 11 (residência oficial de Brown) e o Partido Trabalhista têm trabalhado juntos", escreve a colunista Jackie Ashley, de The Guardian."Ao invés de mandar os ultra-Blaitities aos estúdios de televisão para desestabilizar Brown, o nº 10 pediu que haja uma frente unida na semana que vem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.