Blair diz que ajudará Afeganistão ´o tempo que for necessário´

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, durante visita a soldados ingleses em solo afegão, disse que o sucesso no Afeganistão ajudaria a estabelecer a segurança global, e prometeu comprometimento da Inglaterra com o país "o tempo que for necessário". Blair havia dito antes de sua visita, em entrevista ao canal GEO TV , que houve "muitas mudanças" positivas no Afeganistão, e ressaltou, ainda, a importância da ajuda econômica, acima até da captura de terroristas muito procurados. "É lógico, continuamos procurando Osama bin Laden e o Mulá Omar, mas o importante é apoiar a reconstrução, o desenvolvimento político, a economia e, particularmente, a situação no sul, onde os talebans estão contra-atacando", disse. A chegada de Blair a Cabul veio depois de uma visita de dois dias ao Paquistão, onde ele e o presidente Pervez Musharraf concordaram em realizar um pacote de medidas para combater o terrorismo e para fornecer auxílio ao Afeganistão. O general Musharraf disse que seu vizinho precisaria de grande entrada de ajuda financeira para a reconstrução, semelhante ao Plano Marshall que ajudou a reconstruir a Europa após a Segunda Guerra Mundial. Auxílios para a região incluem um programa que oferece empréstimo de até US$ 190 a fazendeiros e trabalhadores rurais, direcionado a encorajá-los a estabelecer novos negócios. Encontro com líder afegão Após visita a soldados, Blair encontrou-se com o presidente do país, Hamid Karzai, e, em uma conferência conjunta no palácio presidencial, reiterou que as forças britânicas e da Otan permaneceriam no Afeganistão durante anos para evitar qualquer retorno do Taleban ao poder. "Viemos ao Afeganistão por causa do mal que veio até nós", disse o premier inglês em referência aos atentados de 11 de setembro de 2001. "Eu não acho que há alternativas exceto lutar contra isso o tempo que for necessário". Ele elogiou a coragem das tropas em Camp Bastion - a principal base britânica ao sul do país. "Aqui neste deserto extraordinário é onde o futuro da segurança mundial no começo do século 21 estará em jogo", disse ele. Esta foi a primeira visita do líder britânico ao Afeganistão desde 2002. A Inglaterra enviou 6.000 soldados ao país e 41 soldados britânicos foram mortos desde a invasão liderada pelos EUA em 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.