Blair diz que Iraque deve acatar decisões da ONU

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, disse hoje que o presidente do Iraque, Saddam Hussein, deve cumprir com a resolução das Nações Unidas ou "atitudes serão tomadas". "Que fique claro que não haverá mais condições, não haverá mais jogo, não haverá mais prevaricação, não haverá mais desprezo a autoridade das Nações Unidas", disse Blair durante encontro anual do Congresso da União de Comércio em Blackpool. "Se o desejo das Nações Unidas for ignorado, haverá ação em seguida", acrescentou.Blair afirmou hoje que medidas diplomáticas são vitais em relação ao Iraque, mas devem ser condicionadas ao "entendimento pelo ditador de que por trás da diplomacia existe a possibilidade do uso da força". "Por isso, lhes afirmo: se não lidarmos com a ameaça deste foragido internacional e seu regime bárbaro, poderá não emergir e nos atingir este mês ou no próximo; talvez nem neste ano ou no outro. Mas acontecerá em algum momento. E não quero isto em minha consciência; que soube da ameaça, a vi crescendo e não fiz nada", afirmou Blair.E acrescentou: "sei que isso não é o que algumas pessoas querem ouvir. Mas peço apenas isso: ouçam o que direi nas próximas semanas e reflitam. Eu entendo completamente as preocupações das pessoas em relação a uma ação militar precipitada. Uma ação militar deve ser apenas um último recurso", defendeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.