Blair diz que não mudará estratégia no Iraque

A Inglaterra não irá mudar sua estratégia de ficar no Iraque até que as forças do país estejam prontas para assumir a responsabilidade da segurança, afirmou o premier Tony Blair nesta quarta-feira.Ele rejeitou os pedido por uma rápida retirada, dizendo ser crucial a presença das tropas inglesas no Iraque enquanto elas forem necessárias. "Fazer qualquer outra coisa seria uma completa traição, não só do povo iraquiano, mas de todos os sacrifícios feitos por nossas forças armadas ao longo dos anos", disse Blair em sua sessão de perguntas semanais na Câmara dos Comuns. "Não haverá mudança na estratégia de retirada do Iraque, o que só irá acontecer quando as forças iraquianas estiverem confiantes de que podem lidar com a segurança", afirmou. Com a violência aumentando no Iraque, a pressão por uma nova estratégia tem crescido sobre Londres e Washington. Ainda neste mês, o chefe do Exército da Inglaterra, general Richard Dannatt disse que as forças inglesas deveriam deixar o Iraque logo, pois sua presença provoca mais violência do que evitar que ela aconteça. Blair reconheceu que a decisão de invadir o Iraque e derrubar Saddam Hussein foi controversa, mas disse que o país fez grandes progressos desde então, no sentido de construir um governo democrático. "Nós devemos ficar ao seu lado, ajudá-los em alcançar isso (um governo democrático)", afirmou Blair.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.