Blair é acusado por nomear amigo para posto na ONU

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, foi acusado de nomear um diplomata que seria seu amigo para o cargo de subsecretário das Nações Unidas para Assuntos Humanitários. Segundo a edição desta quarta-feira do jornal The Times, sir John Holmes, atual embaixador em Paris, será nomeado em breve, tornando-se o funcionário britânico de mais alta categoria na ONU.Davis, que já trabalhou como secretário particular de Blair, foi o anfitrião da família do primeiro-ministro em duas ocasiões, após ser nomeado embaixador em Lisboa pelo próprio Blair.Embora oficialmente seja o novo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, quem designará Davis para o cargo, a proposta partiu do governo britânico.Segundo o jornal, a nomeação "causou irritação entre os funcionários do governo", segundo os quais "não é a pessoa mais adequada para o posto"."Não tem experiência prévia, nem um conhecimento profundo dessa matéria. É um amigo de Tony. Passaram juntos algumas férias", comentou uma fonte ao jornal.Blair nomeou alguns de seus colaboradores mais próximos para diferentes postos no serviço exterior. Nigel Scheinwald, seu principal assessor para política externa, foi designado embaixador nos Estados Unidos, e outro de seus conselheiros, Kim Daroch, ocupará um posto equivalente em Bruxelas.Os que precederam John Holmes no posto de subsecretário para assuntos humanitários da ONU tinham experiência prévia na área. Jan Egeland, que deixou o cargo no ano passado, tinha estado à frente da Cruz Vermelha norueguesa, e o japonês Kenzo Oshima tinha estado encarregado dos programas de ajuda humanitária do Japão."A ajuda humanitária é um assunto muito importante para o qual se necessita de alguém com experiência", criticou o deputado conservador John Horam, do comitê seleto de Assuntos Exteriores.Uma fonte do governo defendeu, no entanto, o amigo de Blair, ao afirmar que serviu na Índia, onde trabalhou na reforma do programa de ajuda britânica ao país, e que ajudou a negociar o acordo da Sexta-Feira Santa na Irlanda do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.