Blair e Bush dizem buscar novas direções para o Iraque

Pressionado para apontar uma nova estratégia para o Iraque, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou nesta quinta-feira que o sucesso no país árabe depende de uma ampla vitória sobre os extremistas em todo o Oriente Médio.A afirmação foi feita em uma coletiva de imprensa após um encontro com seu maior aliado, o primeiro-ministro britânico Tony Blair, e um dia depois de uma importante comissão bipartidária ter classificado as políticas da coalizão para o Iraque como ineficientes."Vivemos um momento difícil para os Estados Unidos e para a Grã-Bretanha, e a tarefa perante nós é intimidadora", disse Bush um dia depois de o Grupo de Estudos sobre o Iraque (ISG, na sigla em inglês), ter anunciado que as políticas de guerra do presidente haviam falhado. A idéia de combater o terrorismo em todo o Oriente Médio coincide em parte com uma das recomendações do ISG, cujo relatório foi divulgado na quarta-feira. Entre outras coisas, o grupo formado por proeminentes democratas e republicanos pede que os Estados Unidos se esforcem para obter a paz na região, através da resolução do conflito árabe-israelense e de uma aproximação com líderes regionais, como a Síria e o Irã.O primeiro-ministro britânico, que durante todo o conflito no Iraque apoiou as políticas de Bush, disse que recebeu bem as conclusões do Grupo de Estudos sobre o Iraque, apesar das críticas em relação às políticas passadas. O relatório "apresenta um ótimo caminho", disse Blair. "Eu acho que é importante nos concentrarmos nos elementos necessários para garantirmos nossa vitória - porque as conseqüências de uma derrota seriam severas."Ao contrário das posições previamente defendidas por Bush, Blair já havia endossado publicamente a necessidade de se solucionar as tensões entre palestinos e israelenses como forma de se alcançar a paz no Iraque. Mas, também nesta quinta-feira, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse discordar dessa conclusão. Em uma coletiva de imprensa, ele afirmou que não há clima para que as negociações com a Síria sejam restabelecidas.Caminho à frente"Reconheço sua clara visão de que estamos em uma luta entre a moderação e o extremismo, e isto é particularmente evidente no Oriente Médio", disse Bush ao premier britânico. Ambos disseram que apoiar o governo do primeiro-ministro Nouri al-Maliki é essencial para ajudar o Iraque a se defender, governar-se e sustentar-se. "O povo americano espera que nós tracemos uma nova estratégia", disse Bush."Acredito que nós precisamos de uma nova abordagem e é por isso que incumbi o Pentágono de analisar o caminho adiante", disse ele.Texto ampliado às 16h16

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.