Blair e Musharraf reforçam compromisso contra terrorismo

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, e o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, concordaram neste domingo em reforçar a luta contra o terrorismo e decidiram que, para combater o Talibã no Afeganistão, é preciso usar meios políticos, além de militares. Os dois líderes se encontraram em Lahore, leste do Paquistão, durante uma visita oficial de Blair ao país asiático como parte de uma viagem que começou no sábado e que inclui também o Afeganistão, para onde viaja nesta segunda-feira. Em entrevista coletiva conjunta após a reunião, Bush e Musharraf reiteraram o compromisso de seus governos de trabalharem juntos para combater o terrorismo e o extremismo religioso. O primeiro-ministro do Reino Unido ressaltou que seu país continuará no Afeganistão combatendo o Talibã para prevenir a expansão do extremismo e assegurou que, além dos meios militares, tenta-se enfrentar o problema "do ponto de vista político". O chefe do Executivo de Londres também reiterou seu compromisso com o desenvolvimento econômico do Paquistão e elogiou os esforços de Musharraf para modernizar o país. O presidente paquistanês, por sua vez, assegurou que seu governo está fazendo todo o possível para combater o Talibã no Afeganistão e rejeitou as críticas que afirmam o contrário. "Estamos levando a cabo uma guerra contra o Talibã e, no final, venceremos", disse, antes de ressaltar que os talibãs não poderão ser derrotados apenas pela força e que é necessário que haja esforços diplomáticos, de desenvolvimento econômico e de reconstrução. Reconheceu, no entanto, que os talibãs têm apoio de alguns indivíduos em território paquistanês, e reiterou que seu governo está fazendo esforços para prevenir que estes extremistas ajudem os do Afeganistão. Neste sentido, admitiu que para acabar com esta ameaça é necessário "pôr ordem" no lado paquistanês da fronteira. Como parte de seu compromisso na luta contra o extremismo e o terrorismo, Blair e Musharraf assinaram um acordo para reforçar a cooperação bilateral já existente, que inclui o intercâmbio de informação antiterrorista entre ambos os governos. O primeiro-ministro do Reino Unido reiterou o "papel importante" do Paquistão no desmantelamento do complô terrorista descoberto no aeroporto londrino de Heathrow em agosto e reiterou o "pleno apoio" do Reino Unido ao país na luta contra o terrorismo. Os dois governantes também concordaram em reforçar a colaboração na luta contra o narcotráfico, o que incluirá a entrega de dois helicópteros britânicos MIM17 ao Paquistão, para controlar as rotas de tráfico de drogas na fronteira com o Afeganistão. Blair anunciou que nos próximos três anos haverá um forte aumento da ajuda para o desenvolvimento do Paquistão, que passará de 236 para 480 milhões de libras (350 para 710 milhões de euros), dos quais uma parte será utilizada no setor da educação, para conter a crescente influência das escolas islâmicas radicais. A visita do líder trabalhista ao Paquistão faz parte das consultas bilaterais estabelecidas em dezembro de 2004, durante uma viagem oficial de Musharraf ao Reino Unido. Após sua estadia no Paquistão, Blair deve viajar ao Afeganistão, onde seu governo mantém cerca de 4 mil soldados.

Agencia Estado,

19 Novembro 2006 | 12h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.