Blair exorta israelenses e palestinos a não abandonarem o diálogo

O primeiro-ministro britânico Tony Blair pediu hoje aos israelenses e palestinos que "não renunciem ao diálogo". "Obviamente, este é um momento particularmente difícil e ninguém subestima os problemas e dificuldades. Mas o primeiro-ministro quer pedir a ambas as partes que não renunciem ao diálogo porque, no final - não importa quanto tempo falta (para isso) -, deverão sentar-se em torno de uma mesa e discutir. O processo político é o único caminho para deter a violência", afirmou um porta-voz do chefe de governo britânico.Os pontos-chave, acrescentou, são sempre os mesmos: "um Estado israelense que viva seguro dentro de seus limites e um Estado palestino vivendo um ao lado do outro e em paz". Apelo semelhante foi lançado em Paris pela União Européia (UE), através do presidente de turno, o belga Guy Verhofstadt. No final de um encontro com o primeiro-ministro francês, Lionel Jospin, o colega belga pediu que israelenses e palestinos ponham fim à violência, sugerindo que a UE, EUA, Rússia e os "países árabes moderados" pressionem as partes a retomarem o diálogo. Verhofstadt pareceu não inclinar-se nem a favor dos palestinos, nem a favor do israelenses, ressaltando apenas que é preciso "deter os atentados em Israel e as repostas que vimos hoje".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.