Blair insiste que dados sobre o Iraque eram verdadeiros

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, voltou a defender a veracidade das informações recebidas dos serviços secretos britânicos sobre as supostas armas de destruição em massa do Iraque, usadas para justificar a invasão do país árabe. "Não aceito de maneira nenhuma que os dados fossem incorretos", disse ele durante entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, em visita oficial à Inglaterra. "Vocês terão de aguardar até amanhã", acrescentou, numa referência a relatório de lorde Butler, que investigou a questão.O relatório será divulgado amanhã, mas o primeiro-ministro teve acesso a ele hoje. Blair deverá comparecer perante a Câmara dos Comuns para comentar os resultados da investigação. Segundo a imprensa britânica, lorde Butler não menciona o primeiro-ministro no documento, mas não poupa críticas a seus assessores e conselheiros. Sempre de acordo com a imprensa local, o relatório denuncia o que Butler classifica de mau uso dos dados pelo governo, com claros objetivos de ganhar apoio da opinião pública e do Parlamento para seus planos de aderir à guerra contra o Iraque, liderada pelos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.