Blair não fará depoimento sobre dossiê de armas iraquianas

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, anunciou que nem ele e nem seu pessoal comparecerão perante uma comissão parlamentar que investiga como a inteligência foi usada para justificar a guerra no Iraque. Durante sua sessão semanal de perguntas e respostas na Câmara dos Comuns, Blair afirmou que "de acordo com o costume", ele não iria comparecer às audiências da Comissão Especial de Assuntos Externos, apesar de ser possível a ida de seu secretário do Exterior, Jack Straw.Blair garantiu não haver "um pingo de verdade" na alegações de que o governo manipulou evidências sobre os supostos programas de armas químicas, biológicas e nucleares do Iraque a fim de fortalecer a justificativa para a guerra.Duas comissões parlamentares irão investigar denúncias de que o gabinete de Blair reescreveu um dossiê sobre as armas de destruição em massa do Iraque, publicado em setembro último, a fim de enfatizar afirmações de que, a partir de uma ordem de Saddam Hussein, o Iraque teria a capacidade de lançar num prazo de 45 minutos armas químicas e biológicas. Blair apresentará suas considerações a uma comissão de inteligência, que, ao contrário da comissão de assuntos externos, se reúne a portas fechadas."Em relação à Comissão de Assuntos Exteriores... de acordo com a convenção, eu não irei, nem autoridades irão a essa comissão", disse Blair.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.