Blair nega convocação de reservistas para guerra

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, negou nesta segunda-feira que seu governo tenha decidido convocar milhares de militares da reserva para a preparação de um possível ataque contra o Iraque. Numa resportagem publicada hoje, o jornal The Daily Telegraph informou que o governo estaria prestes a emitir uma Ordem da Rainha, um édito que concede amplos poderes a oficiais do Exército para a convocação de militares da reserva.Segundo o jornal, o secretário da Defesa, Geoff Hoon, faria uma declaração sobre o assunto à Câmara dos Comuns ainda esta semana. O Exército pretenderia mobilizar aproximadamente 10.000 reservistas. Mas Blair disse, numa entrevista coletiva, que nenhuma decisão foi tomada sobre a questão. "Até o momento não existem propostas de convocação de reservistas", disse ele. "Se existir, anunciaremos da forma adequada."Ainda nesta segunda-feira, Blair comentou que as negociações com o objetivo de conseguir, no Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), uma nova resolução sobre o Iraque estão prestes a dar resultados.Blair alinhou-se firmemente à linha dura do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na campanha em busca de apoio para um ataque contra o Iraque. Porém, muitos britânicos são contrários a uma nova guerra no Golfo Pérsico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.