Blair nega divergências com Bush sobre o Iraque

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, negou que mantenha divergências com o presidente americano, George W. Bush, sobre o controle das forças de ocupação no Iraque depois da transferência de soberania para um governo iraquiano interino, em 30 de junho. Na terça-feira, Blair disse a jornalistas que as autoridades iraquianas iriam ter poder de veto sobre operações das tropas estrangeiras, mas poucas horas depois o secretário americano de Estado, Colin Powell, o contradisse. Segundo Powell, as forças americanas continuarão sob o comando dos EUA. "Estamos totalmente de acordo em que a soberania plena deve ser transferida ao povo iraquiano e a força multinacional deverá permanecer sob comando americano", declarou Blair ao Parlamento, quando lhe perguntaram sobre as discrepâncias. Ele disse que os iraquianos terão "a palavra final sobre estratégia, enquanto as decisões operacionais serão tomadas por chefes militares dos EUA ou da Grã-Bretanha". A relação entre a força multinacional e o governo iraquiano é um dos pontos polêmicos no esboço de resolução levado pelos EUA e Grã-Bretanha ao Conselho de Segurança da ONU, já que o texto diz que as tropas americanas terão autoridade para tomar todas as medidas a fim de manter a segurança e a estabilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.