Blair pede a partido manutenção do novo Trabalhismo

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, que deixará o poder este ano, pediu a seu partido que não abandone a agenda de reformas do chamado Novo Trabalhismo.Em sua décima e provavelmente última mensagem de Ano Novo, divulgada nesta terça-feira, dia 2, por seu escritório de Downing Street, Blair não mencionou sua partida, mas afirmou que "a ambição e a solidariedade" podem ajudar o Trabalhismo a obter outro mandato de Governo."Ambição e solidariedade: a combinação destes dois instintos é a base de três vitórias consecutivas do Novo Trabalhismo. São a base de uma quarta", disse o primeiro-ministro, que está de férias em Miami, nos Estados Unidos.Ao mesmo tempo, Blair disse que a economia britânica tem que ser ainda mais dinâmica diante dos desafios de países como China ou Índia.Segundo ele, seu Governo conseguiu "progressos reais" para abordar assuntos como a melhora dos serviços públicos, a delinqüência e a estabilidade econômica.DesafiosBlair reconheceu que sua Administração enfrenta dificuldades, mas ressaltou que o Trabalhismo é o partido que domina as idéias."Este é o momento mais difícil para qualquer Governo. Nove anos no poder e na metade de um terceiro mandato. O Trabalhismo não esteve antes em uma posição assim", acrescentou.O Trabalhismo "domina as batalhas das idéias. Continuará assim sempre que continuar sendo o Novo Trabalhismo", acrescentou.Blair também mencionou que o Reino Unido não tem que sair correndo do Iraque e do Afeganistão e acrescentou que a contínua ameaça do terrorismo global faz com que seja importante superar as batalhas nesses dois países.Em sua mensagem, o primeiro-ministro ressaltou que trabalhará para conseguir uma retomada do processo de paz no Oriente Médio.No ano passado, Blair prometeu que não estará no poder no próximo congresso anual do partido, previsto para setembro ou outubro de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.