Blair rejeita pedidos de pausa em ofensiva militar

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha,Tony Blair, rejeitou hoje pedidos feitos por agências e alguns deputados de seu próprio partido por uma pausa na campanha militar no Afeganistão. O objetivo da paralisação seria o de facilitar a ajuda humanitária à população local. "A coisa mais importante para o povo afegão é que ele seja libertado da tirania do regime Taleban o mais rápido possível. Isto é essencial, e é essencial também por razões humanitárias" disse Blair durante um discurso na Casa dos Comuns. Mais cedo, a diretora da Oxfam International, Barbara Stocking, afirmou que se tornou impossível levar ajuda ao Afeganistão porque os funcionários das agências internacionais temem os ataques norte-americanos. "Não tomamos essa decisão facilmente", disse Stocking, "mas não podemos ficar de braços cruzados e permitir que milhares de pessoas morram neste inverno (boreal) e que outras milhões passem por um sofrimento inimaginável".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.