Blair será interrogado em inquérito sobre suicídio de Kelly

O juiz que dirige a investigação sobre o suicídio do assessor de armas britânico David Kelly anunciou nesta sexta-feira que citará o primeiro-ministro Tony Blair para prestar declarações. Lord Hutton, um juiz de apelações, disse que pedirá a Blair que mostre evidências sobre a decisão de indicar Kelly como a possível fonte de uma controvertida reportagem sobre a forma pela qual o governo britânico conduziu a informação de inteligência sobre armamentos iraquianos. O escritório de Blair disse que o premier ?cooperará totalmente com as investigações?. Hutton deixou claro que seu inquérito será amplo e incluirá não apenas a morte de Kelly como também os documentos governamentais relacionados às armas iraquianas, núcleo da disputa que colocou Kelly no centro das atenções sobre o tema. Quanto à audiência preliminar, Hutton disse que também tem a intenção de interrogar o secretário (ministro) da Defesa, Geoff Hoon, e o chefe da assessoria de imprensa do governo, Alastair Campbell. O magistrado informou que a imprensa poderá acompanhar os procedimentos da investigação, que deverá começar depois dos funerais de Kelly, marcados para a próxima quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.